12 ‘Desperte, Débora! Desperte!Desperte, desperte, irrompa em cânticos!Levante-se, Baraque!Leve presos os seus prisioneiros, ó filho de Abinoão!’