Salmos 20; Salmos 21; Salmos 22; Atos 21:1-17

1 O Senhor te ouça no dia da angústia; o nome do Deus de Jacó te proteja. 2 Envie-te socorro do seu santuário, e te sustenha de Sião. 3 Lembre-se de todas as tuas ofertas, e aceite os teus holocaustos. 4 Conceda-te conforme o desejo do teu coração, e cumpra todo o teu desígnio. 5 Nós nos alegraremos pela tua salvação, e em nome do nosso Deus arvoraremos pendões; satisfaça o Senhor todas as tuas petições. 6 Agora sei que o Senhor salva o seu ungido; ele lhe responderá lá do seu santo céu, com a força salvadora da sua destra. 7 Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor nosso Deus. 8 Uns encurvam-se e caem, mas nós nos erguemos e ficamos de pé. 9 Salva-nos, Senhor; ouça-nos o Rei quando clamarmos.
1 Na tua força, ó Senhor, o rei se alegra; e na tua salvação quão grandemente se regozija! 2 Concedeste-lhe o desejo do seu coração, e não lhe negaste a petição dos seus lábios. 3 Pois o proveste de bênçãos excelentes; puseste-lhe na cabeça uma coroa de ouro fino. 4 Vida te pediu, e lha deste, longura de dias para sempre e eternamente. 5 Grande é a sua glória pelo teu socorro; de honra e de majestade o revestes. 6 Sim, tu o fazes para sempre abençoado; tu o enches de gozo na tua presença. 7 Pois o rei confia no Senhor; e pela bondade do Altíssimo permanecerá inabalável. 8 A tua mão alcançará todos os teus inimigos, a tua destra alcançará todos os que te odeiam. 9 Tu os farás qual fornalha ardente quando vieres; o Senhor os consumirá na sua indignação, e o fogo os devorará. 10 A sua prole destruirás da terra, e a sua descendência dentre os filhos dos homens. 11 Pois intentaram o mal contra ti; maquinaram um ardil, mas não prevalecerão. 12 Porque tu os porás em fuga; contra os seus rostos assestarás o teu arco. 13 Exalta-te, Senhor, na tua força; então cantaremos e louvaremos o teu poder.
1 Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? por que estás afastado de me auxiliar, e das palavras do meu bramido? 2 Deus meu, eu clamo de dia, porém tu não me ouves; também de noite, mas não acho sossego. 3 Contudo tu és santo, entronizado sobre os louvores de Israel. 4 Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste. 5 A ti clamaram, e foram salvos; em ti confiaram, e não foram confundidos. 6 Mas eu sou verme, e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo. 7 Todos os que me vêem zombam de mim, arreganham os beiços e meneiam a cabeça, dizendo: 8 Confiou no Senhor; que ele o livre; que ele o salve, pois que nele tem prazer. 9 Mas tu és o que me tiraste da madre; o que me preservaste, estando eu ainda aos seios de minha mãe. 10 Nos teus braços fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe. 11 Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem acuda. 12 Muitos touros me cercam; fortes touros de Basã me rodeiam. 13 Abrem contra mim sua boca, como um leão que despedaça e que ruge. 14 Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas. 15 A minha força secou-se como um caco e a língua se me pega ao paladar; tu me puseste no pó da morte. 16 Pois cães me rodeiam; um ajuntamento de malfeitores me cerca; transpassaram-me as mãos e os pés. 17 Posso contar todos os meus ossos. Eles me olham e ficam a mirar-me. 18 Repartem entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançam sortes. 19 Mas tu, Senhor, não te alongues de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me. 20 Livra-me da espada, e a minha vida do poder do cão. 21 Salva-me da boca do leão, sim, livra-me dos chifres do boi selvagem. 22 Então anunciarei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação. 23 Vós, que temeis ao Senhor, louvai-o; todos vós, filhos de Jacó, glorificai-o; temei-o todos vós, descendência de Israel. 24 Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito, nem dele escondeu o seu rosto; antes, quando ele clamou, o ouviu. 25 De ti vem o meu louvor na grande congregação; pagarei os meus votos perante os que o temem. 26 Os mansos comerão e se fartarão; louvarão ao Senhor os que o buscam. Que o vosso coração viva eternamente! 27 Todos os limites da terra se lembrarão e se converterão ao Senhor, e diante dele adorarão todas as famílias das nações. 28 Porque o domínio é do Senhor, e ele reina sobre as nações. 29 Todos os grandes da terra comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, os que não podem reter a sua vida. 30 A posteridade o servirá; falar-se-á do Senhor � geração vindoura. 31 Chegarão e anunciarão a justiça dele; a um povo que há de nascer contarão o que ele fez.
1 E assim aconteceu que, separando-nos deles, navegamos e, correndo em direitura, chegamos a Cós, e no dia seguinte a Rodes, e dali a Pátara. 2 Achando um navio que seguia para a Fenícia, embarcamos e partimos. 3 E quando avistamos Chipre, deixando-a á esquerda, navegamos para a Síria e chegamos a Tiro, pois o navio havia de ser descarregado ali. 4 Havendo achado os discípulos, demoramo-nos ali sete dias; e eles pelo Espírito diziam a Paulo que não subisse a Jerusalém. 5 Depois de passarmos ali aqueles dias, saímos e seguimos a nossa viagem, acompanhando-nos todos, com suas mulheres e filhos, até fora da cidade; e, postos de joelhos na praia, oramos, 6 e despedindo-nos uns dos outros, embarcamos, e eles voltaram para casa. 7 Concluída a nossa viagem de Tiro, chegamos a Ptolemaida; e, havendo saudado os irmãos, passamos um dia com eles. 8 Partindo no dia seguinte, fomos a Cesaréia; e entrando em casa de Felipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. 9 Tinha este quatro filhas virgens que profetizavam. 10 Demorando-nos ali por muitos dias, desceu da Judéia um profeta, de nome Ágabo; 11 e vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo e, ligando os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus ligarão em Jerusalém o homem a quem pertence esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios. 12 Quando ouvimos isto, rogamos-lhe, tanto nós como os daquele lugar, que não subisse a Jerusalém. 13 Então Paulo resppondeu: Que fazeis chorando e magoando-me o coração? Porque eu estou pronto não só a ser ligado, mas ainda a morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus. 14 E, como não se deixasse persuadir, dissemos: Faça-se a vontade do Senhor; e calamo-nos. 15 Depois destes dias, havendo feito os preparativos, fomos subindo a Jerusalém. 16 E foram também conosco alguns discípulos de Cesaréia, levando consigo um certo Mnáson, cíprio, discípulo antigo, com quem nos havíamos de hospedar. 17 E chegando nós a Jerusalém, os irmãos nos receberam alegremente.