Esdras 1; Esdras 2; João 19:23-42

1 No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor proferida pela boca de Jeremias, despertou o Senhor o espírito de Ciro, rei da Pérsia, de modo que ele fez proclamar por todo o seu reino, de viva voz e também por escrito, este decreto: 2 Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor Deus do céu me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que é em Judá. 3 Quem há entre vós de todo o seu povo (seja seu Deus com ele) suba para Jerusalém, que é em Judá, e edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém. 4 E todo remanescente, seja qual for o lugar em que é peregrino, seja ajudado pelos homens desse lugar com prata, com ouro, com bens e com animais, afora a oferta voluntária para a casa de Deus, que está em Jerusalém. 5 Então se levantaram os chefes das casas paternas de Judá e Benjamim e os sacerdotes, e os levitas, todos aqueles cujo espírito Deus despertara, para subirem a edificar a casa do Senhor, que está em Jerusalém. 6 E todos os seus vizinhos os ajudaram com utensílios de prata, com ouro, com bens, com animais e com coisas preciosas, afora tudo o que se ofereceu voluntariamente. 7 Também o rei Ciro tirou os utensílios que pertenciam � casa do Senhor e que Nabucodonozor tinha trazido de Jerusalém e posto na casa de seus deuses. 8 Ciro, rei da Pérsia, tirou-os pela mão de Mitredate, o tesoureiro, que os entregou contados a Sesbazar, príncipe de Judá. 9 Este é o número deles: Trinta bacias de ouro, mil bacias de prata, vinte e nove incensários, 10 trinta taças de ouro, quatrocentas e dez taças de prata e mil outros utensílios. 11 Todos os utensílios de ouro e de prata foram cinco mil e quatrocentos; todos estes levou Sesbazar, quando os do cativeiro foram conduzidos de Babilônia para Jerusalém.
1 Estes são os filhos da província que subiram do cativeiro, dentre os exilados, a quem Nabucodonozor, rei de Babilônia, tinha levado para Babilônia, e que voltaram para Jerusalém e para Judá, cada um para a sua cidade; 2 os quais vieram com Zorobabel Jesuá Neemias, Seraías, Reelaías, Mardoqueu, Bilsã, Mizpar, Bigvai, Reum e Baaná. O número dos homens do povo de Israel. 3 Os filhos de Parós, dois mil cento e setenta e dois. 4 Os filhos de Sefatias, trezentos e setenta e dois. 5 Os filhos de Ará, setecentos e setenta e cinco. 6 Os filhos de Paate-Moabe, dos filhos de Jesuá e de Joabe, dois mil oitocentos e doze. 7 Os filhos de Elão, mil duzentos e cinqüenta e quatro. 8 Os filhos de Zatu, novecentos e quarenta e cinco. 9 Os filhos de Zacai, setecentos e sessenta. 10 Os filhos de Bani, seiscentos e quarenta e dois. 11 Os filhos de Bebai, seiscentos e vinte e três. 12 Os filhos de Azgade, mil duzentos e vinte e dois. 13 Os filhos de Adonicão, seiscentos e sessenta e seis. 14 Os filhos de Bigvai, dois mil e cinqüenta e seis. 15 Os filhos de Adim, quatrocentos e cinqüenta e quatro. 16 Os filhos de Ater, de Ezequias, noventa e oito. 17 Os filhos de Bezai, trezentos e vinte e três. 18 Os filhos de Jora, cento e doze. 19 Os filhos de Hasum, duzentos e vinte e três. 20 Os filhos de Gibar, noventa e cinco. 21 Os filhos de Belém, cento e vinte e três. 22 Os homens de Netofá, cinqüenta e seis. 23 Os homens de Anatote, cento e vinte e oito. 24 Os filhos de Azmavete, quarenta e dois. 25 Os filhos de Quiriate-Arim, de Cefira e de Beerote, setecentos e quarenta e três 26 Os filhos de Ramá e de Gaba, seiscentos e vinte e um. 27 Os homens de Micmás, cento e vinte e dois. 28 Os homens de Betel e de Ai, duzentos e vinte e três. 29 Os filhos de Nebo, cinqüenta e dois. 30 Os filhos de Magbis, cento e cinqüenta e seis. 31 Os filhos do outro Elão, mil duzentos e cinquenta e quatro. 32 Os filhos de Harim, trezentos e vinte. 33 Os filhos de Lode, de Hadide e de Ono, setecentos e vinte e cinco. 34 Os filhos de Jericó, trezentos e quarenta e cinco. 35 Os filhos de Senaá, três mil seiscentos e trinta. 36 Os sacerdotes: os filhos de Jedaías, da casa de Jesuá, novecentos e setenta e três. 37 Os filhos de Imer, mil e cinqüenta e dois. 38 Os filhos de Pasur, mil duzentos e quarenta e sete. 39 Os filhos de Harim, mil e dezessete. 40 Os levitas os filhos de Jesuá, e de Cadmiel, dos filhos de , Hodavias, setenta e quatro. 41 Os cantores: os filhos de Asafe, cento e vinte e oito. 42 Os filhos dos porteiros: os filhos de Salum, os filhos de Ater, os filhos de Talmom, os filhos de Acube, os filhos de Hatita, os filhos de Sobai, ao todo, cento e trinta e nove. 43 Os netinins: os filhos de Ziá, os filhos de Hasufa, os filhos de Tabaote, 44 os filhos de Querós, os filhos de Siá, os filhos de Padom, 45 os filhos de Lebana, os filhos de Hagaba, os filhos de Acube, 46 os filhos de Hagabe, os filhos de Sanlai, os filhos de Hanã, 47 os filhos de Gidel, os filhos de Gaar, os filhos de Reaías, 48 os filhos de Rezin, os filhos de Necoda, os filhos de Gazão, 49 os filhos de Uzá, os filhos de Paséia, os filhos de Besai, 50 os filhos de Asná, os filhos de Meunim, os filhos dos nefusins, 51 os filhos de Baquebuque, os filhos de Hacufa, os filhos de Hurur, 52 os filhos de Bazlute, os filhos de Meída, os filhos de Harsa, 53 os filhos de Barcos, os filhos de Sísera, os filhos de Tamá, 54 os filhos de Nezias, os filhos de Hatifa. 55 Os filhos dos servos de Salomão: os filhos de Sotai, os filhos de Soferete, os filhos de Peruda, 56 os filhos de Jaalá, os filhos de Darcom, os filhos de Gidel, 57 os filhos de Sefatias, os filhos de Hatil, os filhos de Poquerete-Hazebaim os filhos de Ami. 58 Todos os netinins e os filhos dos servos de Salomão foram trezentos e noventa e dois. 59 Estes foram os que subiram de Tel-Mela, de Tel-Harsa, de Querube, de Adã e de Imer; porém não puderam provar que as suas casas paternas e sua linhagem eram de Israel: 60 os filhos de Delaías, os filhos de Tobias, os filhos de Necoda, seiscentos e cinqüenta e dois. 61 E dos filhos dos sacerdotes: os filhos de Habaías, os filhos de Hacoz, os filhos de Barzilai, que tomou mulher das filhas de Barzilai, o gileadita, e que foi chamado do seu nome. 62 Estes procuraram o seu registro entre os que estavam arrolados nas genealogias, mas não foi encontrado; pelo que, por imundos, foram excluídos do sacerdócio; 63 e o governador lhes intimou que não comessem das coisas santíssimas, até que se levantasse um sacerdote com Urim e Tumim. 64 Toda esta congregação junta somava quarenta e dois mil trezentos e sessenta, 65 afora os seus servos, e as suas servas, que foram sete mil trezentos e trinta e sete; também havia duzentos cantores e cantoras. 66 Os seus cavalos eram setecentos e trinta e seis; os seus mulos, duzentos e quarenta e cinco; 67 os seus camelos, quatrocentos e trinta e cinco; os jumentos, seis mil setecentos e vinte. 68 Alguns dos chefes das casas paternas, vindo � casa do Senhor em Jerusalém, deram ofertas voluntárias para a casa de Deus, para a edificarem no seu lugar; 69 conforme as suas posses, deram para a tesouraria da obra, em ouro sessenta e um mil dáricos, e em prata cinco mil minas, e cem vestes sacerdotais. 70 Ora, os sacerdotes e os levitas, e alguns do povo, tanto os cantores como os porteiros e os netinins, habitaram nas suas cidades, e todo o Israel nas suas cidades.
23 Tendo, pois, os soldados crucificado a Jesus, tomaram as suas vestes, e fizeram delas quatro partes, para cada soldado uma parte. Tomaram também a túnica; ora a túnica não tinha costura, sendo toda tecida de alto a baixo. 24 Pelo que disseram uns aos outros: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela, para ver de quem será (para que se cumprisse a escritura que diz: Repartiram entre si as minhas vestes, e lançaram sortes). E, de fato, os soldados assim fizeram. 25 Estavam em pé, junto � cruz de Jesus, sua mãe, e a irmã de sua mãe, e Maria, mulher de Clôpas, e Maria Madalena. 26 Ora, Jesus, vendo ali sua mãe, e ao lado dela o discípulo a quem ele amava, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. 27 Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. 28 Depois, sabendo Jesus que todas as coisas já estavam consumadas, para que se cumprisse a Escritura, disse: Tenho sede. 29 Estava ali um vaso cheio de vinagre. Puseram, pois, numa cana de hissopo uma esponja ensopada de vinagre, e lha chegaram � boca. 30 Então Jesus, depois de ter tomado o vinagre, disse: está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. 31 Ora, os judeus, como era a preparação, e para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, pois era grande aquele dia de sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados dali. 32 Foram então os soldados e, na verdade, quebraram as pernas ao primeiro e ao outro que com ele fora crucificado; 33 mas vindo a Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34 contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. 35 E é quem viu isso que dá testemunho, e o seu testemunho é verdadeiro; e sabe que diz a verdade, para que também vós creiais. 36 Porque isto aconteceu para que se cumprisse a escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado. 37 Também há outra escritura que diz: Olharão para aquele que traspassaram. 38 Depois disto, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus, embora oculto por medo dos judeus, rogou a Pilatos que lhe permitisse tirar o corpo de Jesus; e Pilatos lho permitiu. Então foi e o tirou. 39 E Nicodemos, aquele que anteriormente viera ter com Jesus de noite, foi também, levando cerca de cem libras duma mistura de mirra e aloés. 40 Tomaram, pois, o corpo de Jesus, e o envolveram em panos de linho com as especiarias, como os judeus costumavam fazer na preparação para a sepultura. 41 No lugar onde Jesus foi crucificado havia um jardim, e nesse jardim um sepulcro novo, em que ninguém ainda havia sido posto. 42 Ali, pois, por ser a vespera do sábado dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro, puseram a Jesus.