25 O desejo do preguiçoso o mata; porque as suas mãos recusam-se a trabalhar.