Salmos 23; Salmos 24; Salmos 25; Atos 21:18-40

1 O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. 2 Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranqüilas. 3 Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome. 4 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam 5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda. 6 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.
1 Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam. 2 Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios. 3 Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? 4 Aquele que é limpo de mãos e puro de coração; que não entrega a sua alma � vaidade, nem jura enganosamente. 5 Este receberá do Senhor uma bênção, e a justiça do Deus da sua salvação. 6 Tal é a geração daqueles que o buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó. 7 Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. 8 Quem é o Rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na batalha. 9 Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. 10 Quem é esse Rei da Glória? O Senhor dos exércitos; ele é o Rei da Glória.
1 A ti, Senhor, elevo a minha alma. 2 Deus meu, em ti confio; não seja eu envergonhado; não triunfem sobre mim os meus inimigos. 3 Não seja envergonhado nenhum dos que em ti esperam; envergonhados sejam os que sem causa procedem traiçoeiramente. 4 Faze-me saber os teus caminhos, Senhor; ensina-me as tuas veredas. 5 Guia-me na tua verdade, e ensina-me; pois tu és o Deus da minha salvação; por ti espero o dia todo. 6 Lembra-te, Senhor, da tua compaixão e da tua benignidade, porque elas são eternas. 7 Não te lembres dos pecado da minha mocidade, nem das minhas transgressões; mas, segundo a tua misericórdia, lembra-te de mim, pela tua bondade, ó Senhor. 8 Bom e reto é o Senhor; pelo que ensina o caminho aos pecadores. 9 Guia os mansos no que é reto, e lhes ensina o seu caminho. 10 Todas as veredas do Senhor são misericórdia e verdade para aqueles que guardam o seu pacto e os seus testemunhos. 11 Por amor do teu nome, Senhor, perdoa a minha iniqüidade, pois é grande. 12 Qual é o homem que teme ao Senhor? Este lhe ensinará o caminho que deve escolher. 13 Ele permanecerá em prosperidade, e a sua descendência herdará a terra. 14 O conselho do Senhor é para aqueles que o temem, e ele lhes faz saber o seu pacto. 15 Os meus olhos estão postos continuamente no Senhor, pois ele tirará do laço os meus pés. 16 Olha para mim, e tem misericórdia de mim, porque estou desamparado e aflito. 17 Alivia as tribulações do meu coração; tira-me das minhas angústias. 18 Olha para a minha aflição e para a minha dor, e perdoa todos os meus pecados. 19 Olha para os meus inimigos, porque são muitos e me odeiam com ódio cruel. 20 Guarda a minha alma, e livra-me; não seja eu envergonhado, porque em ti me refúgio. 21 A integridade e a retidão me protejam, porque em ti espero. 22 Redime, ó Deus, a Israel de todas as suas angústias.
18 No dia seguinte Paulo foi em nossa companhia ter com Tiago, e compareceram todos os anciãos. 19 E, havendo-os saudado, contou-lhes uma por uma as coisas que por seu ministério Deus fizera entre os gentios. 20 Ouvindo eles isto, glorificaram a Deus, e disseram-lhe: Bem vês, irmãos, quantos milhares há entre os judeus que têm crido, e todos são zelosos da lei; gregos, ouviram a palavra do 21 e têm sido informados a teu respeito que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a se apartarem de Moisés, dizendo que não circuncidem seus filhos, nem andem segundo os costumes da lei. 22 Que se há de fazer, pois? Certamente saberão que és chegado. 23 Faze, pois, o que te vamos dizer: Temos quatro homens que fizeram voto; 24 toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles as despesas para que rapem a cabeça; e saberão todos que é falso aquilo de que têm sido informados a teu respeito, mas que também tu mesmo andas corretamente, guardando a lei. 25 Todavia, quanto aos gentios que têm crido já escrevemos, dando o parecer que se abstenham do que é sacrificado a os ídolos, do sangue, do sufocado e da prostituição. 26 Então Paulo, no dia seguinte, tomando consigo aqueles homens, purificou-se com eles e entrou no templo, notificando o cumprimento dos dias da purificação, quando seria feita a favor de cada um deles a respectiva oferta. 27 Mas quando os sete dias estavam quase a terminar, os judeus da Ásia, tendo-o visto no templo, alvoroçaram todo o povo e agarraram-no, 28 clamando: Varões israelitas, acudi; este é o homem que por toda parte ensina a todos contra o povo, contra a lei, e contra este lugar; e ainda, além disso, introduziu gregos no templo, e tem profanado este santo lugar. 29 Porque tinham visto com ele na cidade a Trófimo de Éfeso, e pensavam que Paulo o introduzira no templo. 30 Alvoroçou-se toda a cidade, e houve ajuntamento do povo; e agarrando a Paulo, arrastaram-no para fora do templo, e logo as portas se fecharam. 31 E, procurando eles matá-lo, chegou ao comandante da coorte o aviso de que Jerusalém estava toda em confusão; 32 o qual, tomando logo consigo soldados e centuriões, correu para eles; e quando viram o comandante e os soldados, cessaram de espancar a Paulo. 33 Então aproximando-se o comandante, prendeu-o e mandou que fosse acorrentado com duas cadeias, e perguntou quem era e o que tinha feito. 34 E na multidão uns gritavam de um modo, outros de outro; mas, não podendo por causa do alvoroço saber a verdade, mandou conduzí-lo � fortaleza. 35 E sucedeu que, chegando �s escadas, foi ele carregado pelos soldados por causa da violência da turba. 36 Pois a multidão o seguia, gritando: Mata-o! 37 Quando estava para ser introduzido na fortaleza, disse Paulo ao comandante: É-me permitido dizer-te alguma coisa? Respondeu ele: Sabes o grego? 38 Não és porventura o egípcio que há poucos dias fez uma sedição e levou ao deserto os quatro mil sicários? 39 Mas Paulo lhe disse: Eu sou judeu, natural de Tarso, cidade não insignificante da Cilícia; rogo-te que me permitas falar ao povo. 40 E, havendo-lho permitido o comandante, Paulo, em pé na escada, fez sinal ao povo com a mão; e, feito grande silêncio, falou em língua hebraica, dizendo: