1 Deus lembrou-se de Noé, de todos os animais e de todo o gado, que estavam com ele na arca; e Deus fez passar um vento sobre a terra, e as águas começaram a diminuir. 2 Cerraram-se as fontes do abismo e as janelas do céu, e a chuva do céu se deteve; 3 as águas se foram retirando de sobre a terra; no fim de cento e cinqüenta dias começaram a minguar. 4 No sétimo mês, no dia dezessete do mês, repousou a arca sobre os montes de Arará. 5 E as águas foram minguando até o décimo mês; no décimo mês, no primeiro dia do mês, apareceram os cumes dos montes. 6 Ao cabo de quarenta dias, abriu Noé a janela que havia feito na arca; 7 soltou um corvo que, saindo, ia e voltava até que as águas se secaram de sobre a terra. 8 Depois soltou uma pomba, para ver se as águas tinham minguado de sobre a face da terra; 9 mas a pomba não achou onde pousar a planta do pé, e voltou a ele para a arca; porque as águas ainda estavam sobre a face de toda a terra; e Noé, estendendo a mão, tomou-a e a recolheu consigo na arca. 10 Esperou ainda outros sete dias, e tornou a soltar a pomba fora da arca. 11 Â tardinha a pomba voltou para ele, e eis no seu bico uma folha verde de oliveira; assim soube Noé que as águas tinham minguado de sobre a terra. 12 Então esperou ainda outros sete dias, e soltou a pomba; e esta não tornou mais a ele. 13 No ano seiscentos e um, no mês primeiro, no primeiro dia do mês, secaram-se as águas de sobre a terra. Então Noé tirou a cobertura da arca: e olhou, e eis que a face a terra estava enxuta. 14 No segundo mês, aos vinte e sete dias do mês, a terra estava seca. 15 Então falou Deus a Noé, dizendo: 16 Sai da arca, tu, e juntamente contigo tua mulher, teus filhos e as mulheres de teus filhos. 17 Todos os animais que estão contigo, de toda a carne, tanto aves como gado e todo réptil que se arrasta sobre a terra, traze-os para fora contigo; para que se reproduzam abundantemente na terra, frutifiquem e se multipliquem sobre a terra. 18 Então saiu Noé, e com ele seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos; 19 todo animal, todo réptil e toda ave, tudo o que se move sobre a terra, segundo as suas famílias, saiu da arca. 20 Edificou Noé um altar ao Senhor; e tomou de todo animal limpo e de toda ave limpa, e ofereceu holocaustos sobre o altar. 21 Sentiu o Senhor o suave cheiro e disse em seu coração: Não tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem; porque a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice; nem tornarei mais a ferir todo vivente, como acabo de fazer. 22 Enquanto a terra durar, não deixará de haver sementeira e ceifa, frio e calor, verão e inverno, dia e noite.
1 Abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra. 2 Terão medo e pavor de vós todo animal da terra, toda ave do céu, tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar; nas vossas mãos são entregues. 3 Tudo quanto se move e vive vos servirá de mantimento, bem como a erva verde; tudo vos tenho dado. 4 A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis. 5 Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; de todo animal o requererei; como também do homem, sim, da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem. 6 Quem derramar sangue de homem, pelo homem terá o seu sangue derramado; porque Deus fez o homem � sua imagem. 7 Mas vós frutificai, e multiplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela. 8 Disse também Deus a Noé, e a seus filhos com ele: 9 Eis que eu estabeleço o meu pacto convosco e com a vossa descendência depois de vós, 10 e com todo ser vivente que convosco está: com as aves, com o gado e com todo animal da terra; com todos os que saíram da arca, sim, com todo animal da terra. 11 Sim, estabeleço o meu pacto convosco; não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio; e não haverá mais dilúvio, para destruir a terra. 12 E disse Deus: Este é o sinal do pacto que firmo entre mim e vós e todo ser vivente que está convosco, por gerações perpétuas: 13 O meu arco tenho posto nas nuvens, e ele será por sinal de haver um pacto entre mim e a terra. 14 E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, e aparecer o arco nas nuvens, 15 então me lembrarei do meu pacto, que está entre mim e vós e todo ser vivente de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne. 16 O arco estará nas nuvens, e olharei para ele a fim de me lembrar do pacto perpétuo entre Deus e todo ser vivente de toda a carne que está sobre a terra. 17 Disse Deus a Noé ainda: Esse é o sinal do pacto que tenho estabelecido entre mim e toda a carne que está sobre a terra. 18 Ora, os filhos de Noé, que saíram da arca, foram Sem, Cão e Jafé; e Cão é o pai de Canaã. 19 Estes três foram os filhos de Noé; e destes foi povoada toda a terra. 20 E começou Noé a cultivar a terra e plantou uma vinha. 21 Bebeu do vinho, e embriagou-se; e achava-se nu dentro da sua tenda. 22 E Cão, pai de Canaã, viu a nudez de seu pai, e o contou a seus dois irmãos que estavam fora. 23 Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre os seus ombros, e andando virados para trás, cobriram a nudez de seu pai, tendo os rostos virados, de maneira que não viram a nudez de seu pai. 24 Despertado que foi Noé do seu vinho, soube o que seu filho mais moço lhe fizera; 25 e disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos será de seus irmãos. 26 Disse mais: Bendito seja o Senhor, o Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. 27 Alargue Deus a Jafé, e habite Jafé nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. 28 Viveu Noé, depois do dilúvio, trezentos e cinqüenta anos. 29 E foram todos os dias de Noé novecentos e cinqüenta anos; e morreu.
1 Estas, pois, são as gerações dos filhos de Noé: Sem, Cão e Jafé, aos quais nasceram filhos depois do dilúvio. 2 Os filhos de Jafé: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras. 3 Os filhos de Gomer: Asquenaz, Rifate e Togarma. 4 Os filhos de Javã: Elisá, Társis, Quitim e Dodanim. 5 Por estes foram repartidas as ilhas das nações nas suas terras, cada qual segundo a sua língua, segundo as suas famílias, entre as suas nações. 6 Os filhos de Cão: Cuche, Mizraim, Pute e Canaã. 7 Os filhos de Cuche: Seba, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá; e os filhos de Raamá são Sebá e Dedã. 8 Cuche também gerou a Ninrode, o qual foi o primeiro a ser poderoso na terra. 9 Ele era poderoso caçador diante do Senhor; pelo que se diz: Como Ninrode, poderoso caçador diante do Senhor. 10 O princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar. 11 Desta mesma terra saiu ele para a Assíria e edificou Nínive, Reobote-Ir, Calá, 12 e Résem entre Nínive e Calá (esta é a grande cidade). 13 Mizraim gerou a Ludim, Anamim, Leabim, Naftuim, 14 Patrusim, Casluim (donde saíram os filisteus) e Caftorim. 15 Canaã gerou a Sidom, seu primogênito, e Hete, 16 e ao jebuseu, o amorreu, o girgaseu, 17 o heveu, o arqueu, o sineu, 18 o arvadeu, o zemareu e o hamateu. Depois se espalharam as famílias dos cananeus. 19 Foi o termo dos cananeus desde Sidom, em direção a Gerar, até Gaza; e daí em direção a Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim, até Lasa. 20 São esses os filhos de Cão segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, em suas nações. 21 A Sem, que foi o pai de todos os filhos de Eber e irmão mais velho de Jafé, a ele também nasceram filhos. 22 Os filhos de Sem foram: Elão, Assur, Arfaxade, Lude e Arão. 23 Os filhos de Arão: Uz, Hul, Geter e Más. 24 Arfaxade gerou a Selá; e Selá gerou a Eber. 25 A Eber nasceram dois filhos: o nome de um foi Pelegue, porque nos seus dias foi dividida a terra; e o nome de seu irmão foi Joctã. 26 Joctã gerou a Almodá, Selefe, Hazarmavé, Jerá, 27 Hadorão, Usal, Dicla, 28 Obal, Abimael, Sebá, 29 Ofir, Havilá e Jobabe: todos esses foram filhos de Joctã. 30 E foi a sua habitação desde Messa até Sefar, montanha do oriente. 31 Esses são os filhos de Sem segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, segundo as suas nações. 32 Essas são as famílias dos filhos de Noé segundo as suas gerações, em suas nações; e delas foram disseminadas as nações na terra depois do dilúvio.
1 Ora, toda a terra tinha uma só língua e um só idioma. 2 E deslocando-se os homens para o oriente, acharam um vale na terra de Sinar; e ali habitaram. 3 Disseram uns aos outros: Eia pois, façamos tijolos, e queimemo-los bem. Os tijolos lhes serviram de pedras e o betume de argamassa. 4 Disseram mais: Eia, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume toque no céu, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra. 5 Então desceu o Senhor para ver a cidade e a torre que os filhos dos homens edificavam; 6 e disse: Eis que o povo é um e todos têm uma só língua; e isto é o que começam a fazer; agora não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer. 7 Eia, desçamos, e confundamos ali a sua linguagem, para que não entenda um a língua do outro. 8 Assim o Senhor os espalhou dali sobre a face de toda a terra; e cessaram de edificar a cidade. 9 Por isso se chamou o seu nome Babel, porquanto ali confundiu o Senhor a linguagem de toda a terra, e dali o Senhor os espalhou sobre a face de toda a terra. 10 Estas são as gerações de Sem. Tinha ele cem anos, quando gerou a Arfaxade, dois anos depois do dilúvio. 11 E viveu Sem, depois que gerou a Arfaxade, quinhentos anos; e gerou filhos e filhas. 12 Arfaxade viveu trinta e cinco anos, e gerou a Selá. 13 Viveu Arfaxade, depois que gerou a Selá, quatrocentos e três anos; e gerou filhos e filhas. 14 Selá viveu trinta anos, e gerou a Eber. 15 Viveu Selá, depois que gerou a Eber, quatrocentos e três anos; e gerou filhos e filhas. 16 Eber viveu trinta e quatro anos, e gerou a Pelegue. 17 Viveu Eber, depois que gerou a Pelegue, quatrocentos e trinta anos; e gerou filhos e filhas. 18 Pelegue viveu trinta anos, e gerou a Reú. 19 Viveu Pelegue, depois que gerou a Reú, duzentos e nove anos; e gerou filhos e filhas. 20 Reú viveu trinta e dois anos, e gerou a Serugue. 21 Viveu Reú, depois que gerou a Serugue, duzentos e sete anos; e gerou filhos e filhas. 22 Serugue viveu trinta anos, e gerou a Naor. 23 Viveu Serugue, depois que gerou a Naor, duzentos anos; e gerou filhos e filhas. 24 Naor viveu vinte e nove anos, e gerou a Tera. 25 Viveu Naor, depois que gerou a Tera, cento e dezenove anos; e gerou filhos e filhas. 26 Tera viveu setenta anos, e gerou a Abrão, a Naor e a Harã. 27 Estas são as gerações de Tera: Tera gerou a Abrão, a Naor e a Harã; e Harã gerou a Ló. 28 Harã morreu antes de seu pai Tera, na terra do seu nascimento, em Ur dos Caldeus. 29 Abrão e Naor tomaram mulheres para si: o nome da mulher de Abrão era Sarai, e o nome da mulher do Naor era Milca, filha de Harã, que foi pai de Milca e de Iscá. 30 Sarai era estéril; não tinha filhos. 31 Tomou Tera a Abrão seu filho, e a Ló filho de Harã, filho de seu filho, e a Sarai sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur dos Caldeus, a fim de ir para a terra de Canaã; e vieram até Harã, e ali habitaram. 32 Foram os dias de Tera duzentos e cinco anos; e morreu Tera em Harã.