Salmos 103; Salmos 104; Salmos 105

1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. 2 Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios. 3 É ele quem perdoa todas as tuas iniqüidades, quem sara todas as tuas enfermidades, 4 quem redime a tua vida da cova, quem te coroa de benignidade e de misericórdia, 5 quem te supre de todo o bem, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia. 6 O Senhor executa atos de justiça, e juízo a favor de todos os oprimidos. 7 Fez notórios os seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel. 8 Compassivo e misericordioso é o Senhor; tardio em irar-se e grande em benignidade. 9 Não repreenderá perpetuamente, nem para sempre conservará a sua ira. 10 Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui segundo as nossas iniqüidades. 11 Pois quanto o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua benignidade para com os que o temem. 12 Quanto o oriente está longe do ocidente, tanto tem ele afastado de nós as nossas transgressões. 13 Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem. 14 Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó. 15 Quanto ao homem, os seus dias são como a erva; como a flor do campo, assim ele floresce. 16 Pois, passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não a conhece mais. 17 Mas é de eternidade a eternidade a benignidade do Senhor sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos, 18 sobre aqueles que guardam o seu pacto, e sobre os que se lembram dos seus preceitos para os cumprirem. 19 O Senhor estabeleceu o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo. 20 Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que cumpris as suas ordens, obedecendo � voz da sua palavra! 21 Bendizei ao Senhor, vós todos os seus exércitos, vós ministros seus, que executais a sua vontade! 22 Bendizei ao Senhor, vós todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio! Bendizei, ó minha alma ao Senhor!
1 Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Senhor, Deus meu, tu és magnificentíssimo! Estás vestido de honra e de majestade, 2 tu que te cobres de luz como de um manto, que estendes os céus como uma cortina. 3 És tu que pões nas águas os vigamentos da tua morada, que fazes das nuvens o teu carro, que andas sobre as asas do vento; 4 que fazes dos ventos teus mensageiros, dum fogo abrasador os teus ministros. 5 Lançaste os fundamentos da terra, para que ela não fosse abalada em tempo algum. 6 Tu a cobriste do abismo, como dum vestido; as águas estavam sobre as montanhas. 7 Â tua repreensão fugiram; � voz do teu trovão puseram-se em fuga. 8 Elevaram-se as montanhas, desceram os vales, até o lugar que lhes determinaste. 9 Limite lhes traçaste, que não haviam de ultrapassar, para que não tornassem a cobrir a terra. 10 És tu que nos vales fazes rebentar nascentes, que correm entre as colinas. 11 Dão de beber a todos os animais do campo; ali os asnos monteses matam a sua sede. 12 Junto delas habitam as aves dos céus; dentre a ramagem fazem ouvir o seu canto. 13 Da tua alta morada regas os montes; a terra se farta do fruto das tuas obras. 14 Fazes crescer erva para os animais, e a verdura para uso do homem, de sorte que da terra tire o alimento, 15 o vinho que alegra o seu coração, o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que lhe fortalece o coração. 16 Saciam-se as árvores do Senhor, os cedros do Líbano que ele plantou, 17 nos quais as aves se aninham, e a cegonha, cuja casa está nos ciprestes. 18 Os altos montes são um refúgio para as cabras montesas, e as rochas para os querogrilos. 19 Designou a lua para marcar as estações; o sol sabe a hora do seu ocaso. 20 Fazes as trevas, e vem a noite, na qual saem todos os animais da selva. 21 Os leões novos os animais bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento. 22 Quando nasce o sol, logo se recolhem e se deitam nos seus covis. 23 Então sai o homem para a sua lida e para o seu trabalho, até a tarde. 24 Ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas. 25 Eis também o vasto e espaçoso mar, no qual se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes. 26 Ali andam os navios, e o leviatã que formaste para nele folgar. 27 Todos esperam de ti que lhes dês o sustento a seu tempo. 28 Tu lho dás, e eles o recolhem; abres a tua mão, e eles se fartam de bens. 29 Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a respiração, morrem, e voltam para o seu pó. 30 Envias o teu fôlego, e são criados; e assim renovas a face da terra. 31 Permaneça para sempre a glória do Senhor; regozije-se o Senhor nas suas obras; 32 ele olha para a terra, e ela treme; ele toca nas montanhas, e elas fumegam. 33 Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir. 34 Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me regozijarei no Senhor. 35 Sejam extirpados da terra os pecadores, e não subsistam mais os ímpios. Bendize, ó minha alma, ao Senhor. Louvai ao Senhor.
1 Dai graças ao Senhor; invocai o seu nome; fazei conhecidos os seus feitos entre os povos. 2 Cantai-lhe, cantai-lhe louvores; falai de todas as suas maravilhas. 3 Gloriai-vos no seu santo nome; regozije-se o coração daqueles que buscam ao Senhor. 4 Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente. 5 Lembrai-vos das maravilhas que ele tem feito, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca, 6 vós, descendência de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. 7 Ele é o Senhor nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra. 8 Lembra-se perpetuamente do seu pacto, da palavra que ordenou para mil gerações; 9 do pacto que fez com Abraão, e do seu juramento a Isaque; 10 o qual ele confirmou a Jacó por estatuto, e a Israel por pacto eterno, 11 dizendo: A ti darei a terra de Canaã, como porção da vossa herança. 12 Quando eles eram ainda poucos em número, de pouca importância, e forasteiros nela, 13 andando de nação em nação, dum reino para outro povo, 14 não permitiu que ninguém os oprimisse, e por amor deles repreendeu reis, dizendo: 15 Não toqueis nos meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas. 16 Chamou a fome sobre a terra; retirou-lhes todo o sustento do pão. 17 Enviou adiante deles um varão; José foi vendido como escravo; 18 feriram-lhe os pés com grilhões; puseram-no a ferro, 19 até o tempo em que a sua palavra se cumpriu; a palavra do Senhor o provou. 20 O rei mandou, e fez soltá-lo; o governador dos povos o libertou. 21 Fê-lo senhor da sua casa, e governador de toda a sua fazenda, 22 para, a seu gosto, dar ordens aos príncipes, e ensinar aos anciãos a sabedoria. 23 Então Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão. 24 E o Senhor multiplicou sobremodo o seu povo, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos. 25 Mudou o coração destes para que odiassem o seu povo, e tratassem astutamente aos seus servos. 26 Enviou Moisés, seu servo, e Arão, a quem escolhera, 27 os quais executaram entre eles os seus sinais e prodígios na terra de Cão. 28 Mandou � escuridão que a escurecesse; e foram rebeldes � sua palavra. 29 Converteu-lhes as águas em sangue, e fez morrer os seus peixes. 30 A terra deles produziu rãs em abundância, até nas câmaras dos seus reis. 31 Ele falou, e vieram enxames de moscas em todo o seu têrmo. 32 Deu-lhes saraiva por chuva, e fogo abrasador na sua terra. 33 Feriu-lhes também as vinhas e os figueirais, e quebrou as árvores da sua terra. 34 Ele falou, e vieram gafanhotos, e pulgões em quantidade inumerável, 35 que comeram toda a erva da sua terra, e devoraram o fruto dos seus campos. 36 Feriu também todos os primogênitos da terra deles, as primícias de toda a sua força. 37 E fez sair os israelitas com prata e ouro, e entre as suas tribos não havia quem tropeçasse. 38 O Egito alegrou-se quando eles saíram, porque o temor deles o dominara. 39 Estendeu uma nuvem para os cobrir, e um fogo para os alumiar de noite. 40 Eles pediram, e ele fez vir codornizes, e os saciou com pão do céu. 41 Fendeu a rocha, e dela brotaram águas, que correram pelos lugares áridos como um rio. 42 Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo. 43 Fez sair com alegria o seu povo, e com cânticos de júbilo os seus escolhidos. 44 Deu-lhes as terras das nações, e eles herdaram o fruto do trabalho dos povos, 45 para que guardassem os seus preceitos, e observassem as suas leis. Louvai ao Senhor
California - Do Not Sell My Personal Information  California - CCPA Notice