Salmos 65; Salmos 66; Salmos 67; Salmos 69; Salmos 70

1 A ti, ó Deus, é devido o louvor em Sião; e a ti se pagará o voto. 2 Ó tu que ouves a oração! a ti virá toda a carne. 3 Prevalecem as iniqüidades contra mim; mas as nossas transgressões, tu as perdoarás. 4 Bem-aventurado aquele a quem tu escolhes, e fazes chegar a ti, para habitar em teus átrios! Nós seremos satisfeitos com a bondade da tua casa, do teu santo templo. 5 Com prodígios nos respondes em justiça, ó Deus da nossa salvação, a esperança de todas as extremidades da terra, e do mais remoto mar; 6 tu que pela tua força consolidas os montes, cingido de poder; 7 que aplacas o ruído dos mares, o ruído das suas ondas, e o tumulto dos povos. 8 Os que habitam os confins da terra são tomados de medo � vista dos teus sinais; tu fazes exultar de júbilo as saídas da manhã e da tarde. 9 Tu visitas a terra, e a regas; grandemente e enriqueces; o rio de Deus está cheio d'água; tu lhe dás o trigo quando assim a tens preparado; 10 enches d'água os seus sulcos, aplanando-lhes as leivas, amolecendo-a com a chuva, e abençoando as suas novidades. 11 Coroas o ano com a tua bondade, e as tuas veredas destilam gordura; 12 destilam sobre as pastagens do deserto, e os outeiros se cingem de alegria. 13 As pastagens revestem-se de rebanhos, e os vales se cobrem de trigo; por isso eles se regozijam, por isso eles cantam.
1 Louvai a Deus com brados de júbilo, todas as terras. 2 Cantai a glória do seu nome, dai glória em seu louvor. 3 Dizei a Deus: Quão tremendas são as tuas obras! pela grandeza do teu poder te lisonjeiam os teus inimigos. 4 Toda a terra te adorará e te cantará louvores; eles cantarão o teu nome. 5 Vinde, e vede as obras de Deus; ele é tremendo nos seus feitos para com os filhos dos homens. 6 Converteu o mar em terra seca; passaram o rio a pé; ali nos alegramos nele. 7 Ele governa eternamente pelo seu poder; os seus olhos estão sobre as nações; não se exaltem os rebeldes. 8 Bendizei, povos, ao nosso Deus, e fazei ouvir a voz do seu louvor; 9 ao que nos conserva em vida, e não consente que resvalem os nossos pés. 10 Pois tu, ó Deus, nos tens provado; tens nos refinado como se refina a prata. 11 Fizeste-nos entrar no laço; pesada carga puseste sobre os nossos lombos. 12 Fizeste com que os homens cavalgassem sobre as nossas cabeças; passamos pelo fogo e pela água, mas nos trouxeste a um lugar de abundância. 13 Entregarei em tua casa com holocaustos; pagar-te-ei os meus votos, 14 votos que os meus lábios pronunciaram e a minha boca prometeu, quando eu estava na angústia. 15 Oferecer-te-ei holocausto de animais nédios, com incenso de carneiros; prepararei novilhos com cabritos. 16 Vinde, e ouvi, todos os que temeis a Deus, e eu contarei o que ele tem feito por mim. 17 A ele clamei com a minha boca, e ele foi exaltado pela minha língua. 18 Se eu tivesse guardado iniqüidade no meu coração, o Senhor não me teria ouvido; 19 mas, na verdade, Deus me ouviu; tem atendido � voz da minha oração. 20 Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem retirou de mim a sua benignidade.
1 Deus se compadeça de nós e nos abençoe, e faça resplandecer o seu rosto sobre nós, 2 para que se conheça na terra o seu caminho e entre todas as nações a sua salvação. 3 Louvem-te, ó Deus, os povos; louvem-te os povos todos. 4 Alegrem-se e regozijem-se as nações, pois julgas os povos com eqüidade, e guias as nações sobre a terra. 5 Louvem-te, ó Deus, os povos; louvem os povos todos. 6 A terra tem produzido o seu fruto; e Deus, o nosso Deus, tem nos abençoado. 7 Deus nos tem abençoado; temam-no todas as extremidades da terra!
1 Salva-me, ó Deus, pois as águas me sobem até o pescoço. 2 Atolei-me em profundo lamaçal, onde não se pode firmar o pé; entrei na profundeza das águas, onde a corrente me submerge. 3 Estou cansado de clamar; secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de esperar por meu Deus. 4 Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; poderosos são aqueles que procuram destruir-me, que me atacam com mentiras; por isso tenho de restituir o que não extorqui. 5 Tu, ó Deus, bem conheces a minha estultícia, e as minhas culpas não são ocultas. 6 Não sejam envergonhados por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor Deus dos exércitos; não sejam confundidos por minha causa aqueles que te buscam, ó Deus de Israel. 7 Porque por amor de ti tenho suportado afrontas; a confusão me cobriu o rosto. 8 Tornei-me como um estranho para os meus irmãos, e um desconhecido para os filhos de minha mãe. 9 Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim. 10 Quando chorei e castiguei com jejum a minha alma, isto se me tornou em afrontas. 11 Quando me vesti de cilício, fiz-me para eles um provérbio. 12 Aqueles que se sentem � porta falam de mim; e sou objeto das cantigas dos bêbedos. 13 Eu, porém, faço a minha oração a ti, ó Senhor, em tempo aceitável; ouve-me, ó Deus, segundo a grandeza da tua benignidade, segundo a fidelidade da tua salvação. 14 Tira-me do lamaçal, e não me deixes afundar; seja eu salvo dos meus inimigos, e das profundezas das águas. 15 Não me submerja a corrente das águas e não me trague o abismo, nem cerre a cova a sua boca sobre mim. 16 Ouve-me, Senhor, pois grande é a tua benignidade; volta-te para mim segundo a tua muitíssima compaixão. 17 Não escondas o teu rosto do teu servo; ouve-me depressa, pois estou angustiado. 18 Aproxima-te da minha alma, e redime-a; resgata-me por causa dos meus inimigos. 19 Tu conheces o meu opróbrio, a minha vergonha, e a minha ignomínia; diante de ti estão todos os meus adversários. 20 Afrontas quebrantaram-me o coração, e estou debilitado. Esperei por alguém que tivesse compaixão, mas não houve nenhum; e por consoladores, mas não os achei. 21 Deram-me fel por mantimento, e na minha sede me deram a beber vinagre. 22 Torne-se a sua mesa diante deles em laço, e sejam-lhes as suas ofertas pacíficas uma armadilha. 23 Obscureçam-se-lhes os olhos, para que não vejam, e faze com que os seus lombos tremam constantemente. 24 Derrama sobre eles a tua indignação, e apanhe-os o ardor da tua ira. 25 Fique desolada a sua habitação, e não haja quem habite nas suas tendas. 26 Pois perseguem a quem afligiste, e aumentam a dor daqueles a quem feriste. 27 Acrescenta iniqüidade � iniqüidade deles, e não encontrem eles absolvição na tua justiça. 28 Sejam riscados do livro da vida, e não sejam inscritos com os justos. 29 Eu, porém, estou aflito e triste; a tua salvação, ó Deus, me ponha num alto retiro. 30 Louvarei o nome de Deus com um cântico, e engrandecê-lo-ei com ação de graças. 31 Isto será mais agradável ao Senhor do que um boi, ou um novilho que tem pontas e unhas. 32 Vejam isto os mansos, e se alegrem; vós que buscais a Deus reviva o vosso coração. 33 Porque o Senhor ouve os necessitados, e não despreza os seus, embora sejam prisioneiros. 34 Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo quanto neles se move. 35 Porque Deus salvará a Sião, e edificará as cidades de Judá, e ali habitarão os seus servos e a possuirão. 36 E herdá-la-á a descendência de seus servos, e os que amam o seu nome habitarão nela.
1 Apressa-te, ó Deus, em me livrar; Senhor, apressa-te em socorrer-me. 2 Fiquem envergonhados e confundidos os que procuram tirar-me a vida; tornem atrás e confundam-se os que me desejam o mal. 3 Sejam cobertos de vergonha os que dizem: Ah! Ah! 4 Folguem e alegrem-se em ti todos os que te buscam; e aqueles que amam a tua salvação digam continuamente: engrandecido seja Deus. 5 Eu, porém, estou aflito e necessitado; apressa-te em me valer, ó Deus. Tu és o meu amparo e o meu libertador; Senhor, não te detenhas.
California - Do Not Sell My Personal Information  California - CCPA Notice