Salmos 70; Salmos 71; Salmos 72; Salmos 73

1 Apressa-te, ó Deus, em me livrar; Senhor, apressa-te em socorrer-me. 2 Fiquem envergonhados e confundidos os que procuram tirar-me a vida; tornem atrás e confundam-se os que me desejam o mal. 3 Sejam cobertos de vergonha os que dizem: Ah! Ah! 4 Folguem e alegrem-se em ti todos os que te buscam; e aqueles que amam a tua salvação digam continuamente: engrandecido seja Deus. 5 Eu, porém, estou aflito e necessitado; apressa-te em me valer, ó Deus. Tu és o meu amparo e o meu libertador; Senhor, não te detenhas.
1 Em ti, Senhor, me refugio; nunca seja eu confundido. 2 Na tua justiça socorre-me e livra-me; inclina os teus ouvidos para mim, e salva-me. 3 Sê tu para mim uma rocha de refúgio a que sempre me acolha; deste ordem para que eu seja salvo, pois tu és a minha rocha e a minha fortaleza. 4 Livra-me, Deus meu, da mão do ímpio, do poder do homem injusto e cruel, 5 Pois tu és a minha esperança, Senhor Deus; tu és a minha confiança desde a minha mocidade. 6 Em ti me tenho apoiado desde que nasci; tu és aquele que me tiraste das entranhas de minha mãe. O meu louvor será teu constantemente. 7 Sou para muitos um assombro, mas tu és o meu refúgio forte. 8 A minha boca se enche do teu louvor e da tua glória continuamente. 9 Não me enjeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se forem acabando as minhas forças. 10 Porque os meus inimigos falam de mim, e os que espreitam a minha vida consultam juntos, 11 dizendo: Deus o desamparou; persegui-o e prendei-o, pois não há quem o livre. 12 Ó Deus, não te alongues de mim; meu Deus, apressa-te em socorrer-me. 13 Sejam envergonhados e consumidos os meus adversários; cubram-se de opróbrio e de confusão aqueles que procuram o meu mal. 14 Mas eu esperarei continuamente, e te louvarei cada vez mais. 15 A minha boca falará da tua justiça e da tua salvação todo o dia, posto que não conheça a sua grandeza. 16 Virei na força do Senhor Deus; farei menção da tua justiça, da tua tão somente. 17 Ensinaste-me, ó Deus, desde a minha mocidade; e até aqui tenho anunciado as tuas maravilhas. 18 Agora, quando estou velho e de cabelos brancos, não me desampares, ó Deus, até que tenha anunciado a tua força a esta geração, e o teu poder a todos os vindouros. 19 A tua justiça, ó Deus, atinge os altos céus; tu tens feito grandes coisas; ó Deus, quem é semelhante a ti? 20 Tu, que me fizeste ver muitas e penosas tribulações, de novo me restituirás a vida, e de novo me tirarás dos abismos da terra. 21 Aumentarás a minha grandeza, e de novo me consolarás. 22 Também eu te louvarei ao som do saltério, pela tua fidelidade, ó meu Deus; cantar-te-ei ao som da harpa, ó Santo de Israel. 23 Os meus lábios exultarão quando eu cantar os teus louvores, assim como a minha alma, que tu remiste. 24 Também a minha língua falará da tua justiça o dia todo; pois estão envergonhados e confundidos aqueles que procuram o meu mal.
1 Ó Deus, dá ao rei os teus juízes, e a tua justiça ao filho do rei. 2 Julgue ele o teu povo com justiça, e os teus pobres com eqüidade. 3 Que os montes tragam paz ao povo, como também os outeiros, com justiça. 4 Julgue ele os aflitos do povo, salve os filhos do necessitado, e esmague o opressor. 5 Viva ele enquanto existir o sol, e enquanto durar a lua, por todas as gerações. 6 Desça como a chuva sobre o prado, como os chuveiros que regam a terra. 7 Nos seus dias floreça a justiça, e haja abundância de paz enquanto durar a lua. 8 Domine de mar a mar, e desde o Rio até as extremidades da terra. 9 Inclinem-se diante dele os seus adversários, e os seus inimigos lambam o pó. 10 Paguem-lhe tributo os reis de Társis e das ilhas; os reis de Sabá e de Seba ofereçam-lhe dons. 11 Todos os reis se prostrem perante ele; todas as nações o sirvam. 12 Porque ele livra ao necessitado quando clama, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude. 13 Compadece-se do pobre e do necessitado, e a vida dos necessitados ele salva. 14 Ele os liberta da opressão e da violência, e precioso aos seus olhos é o sangue deles. 15 Viva, pois, ele; e se lhe dê do ouro de Sabá; e continuamente se faça por ele oração, e o bendigam em todo o tempo. 16 Haja abundância de trigo na terra sobre os cumes dos montes; ondule o seu fruto como o Líbano, e das cidades floresçam homens como a erva da terra. 17 Permaneça o seu nome eternamente; continue a sua fama enquanto o sol durar, e os homens sejam abençoados nele; todas as nações o chamem bem-aventurado. 18 Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, o único que faz maravilhas. 19 Bendito seja para sempre o seu nome glorioso, e encha-se da sua glória toda a terra. Amém e amém. 20 Findam aqui as orações de Davi, filho de Jessé.
1 Verdadeiramente bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração. 2 Quanto a mim, os meus pés quase resvalaram; pouco faltou para que os meus passos escorregassem. 3 Pois eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios. 4 Porque eles não sofrem dores; são e robusto é o seu corpo. 5 Não se acham em tribulações como outra gente, nem são afligidos como os demais homens. 6 Pelo que a soberba lhes cinge o pescoço como um colar; a violência os cobre como um vestido. 7 Os olhos deles estão inchados de gordura; trasbordam as fantasias do seu coração. 8 Motejam e falam maliciosamente; falam arrogantemente da opressão. 9 Põem a sua boca contra os céus, e a sua língua percorre a terra. 10 Pelo que o povo volta para eles e não acha neles falta alguma. 11 E dizem: Como o sabe Deus? e: Há conhecimento no Altíssimo? 12 Eis que estes são ímpios; sempre em segurança, aumentam as suas riquezas. 13 Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração e lavado as minhas mãos na inocência, 14 pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã. 15 Se eu tivesse dito: Também falarei assim; eis que me teria havido traiçoeiramente para com a geração de teus filhos. 16 Quando me esforçava para compreender isto, achei que era tarefa difícil para mim, 17 até que entrei no santuário de Deus; então percebi o fim deles. 18 Certamente tu os pões em lugares escorregadios, tu os lanças para a ruína. 19 Como caem na desolação num momento! ficam totalmente consumidos de terrores. 20 Como faz com um sonho o que acorda, assim, ó Senhor, quando acordares, desprezarás as suas fantasias. 21 Quando o meu espírito se amargurava, e sentia picadas no meu coração, 22 estava embrutecido, e nada sabia; era como animal diante de ti. 23 Todavia estou sempre contigo; tu me seguras a mão direita. 24 Tu me guias com o teu conselho, e depois me receberás em glória. 25 A quem tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti. 26 A minha carne e o meu coração desfalecem; do meu coração, porém, Deus é a fortaleza, e o meu quinhão para sempre. 27 Pois os que estão longe de ti perecerão; tu exterminas todos aqueles que se desviam de ti. 28 Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; ponho a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as suas obras.
California - Do Not Sell My Personal Information  California - CCPA Notice