Salmos 133; Salmos 134; Salmos 135; Salmos 136; Salmos 137; Salmos 138; Salmos 139

1 Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! 2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desceu sobre a barba, a barba de Arão, que desceu sobre a gola das suas vestes; 3 como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre.
1 Eis aqui, bendizei ao Senhor, todos vós, servos do Senhor, que de noite assistis na casa do Senhor. 2 Erguei as mãos para o santuário, e bendizei ao Senhor. 3 Desde Sião te abençoe o Senhor, que fez os céus e a terra.
1 Louvai ao Senhor. Louvai o nome do Senhor; louvai-o, servos do Senhor, 2 vós que assistis na casa do Senhor, nos átrios da casa do nosso Deus. 3 Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom; cantai louvores ao seu nome, porque ele é bondoso. 4 Porque o Senhor escolheu para si a Jacó, e a Israel para seu tesouro peculiar. 5 Porque eu conheço que o Senhor é grande e que o nosso Senhor está acima de todos os deuses. 6 Tudo o que o Senhor deseja ele o faz, no céu e na terra, nos mares e em todos os abismos. 7 Faz subir os vapores das extremidades da terra; faz os relâmpagos para a chuva; tira os ventos dos seus tesouros. 8 Foi ele que feriu os primogênitos do Egito, desde os homens até os animais; 9 que operou sinais e prodígios no meio de ti, ó Egito, contra Faraó e contra os seus servos; 10 que feriu muitas nações, e matou reis poderosos: 11 a Siom, rei dos amorreus, e a Ogue, rei de Basã, e a todos os reinos de Canaã; 12 e deu a terra deles em herança, em herança a Israel, seu povo. 13 O teu nome, ó Senhor, subsiste para sempre; e a tua memória, ó Senhor, por todas as gerações. 14 Pois o Senhor julgará o seu povo, e se compadecerá dos seus servos. 15 Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens; 16 têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem; 17 têm ouvidos, mas não ouvem; nem há sopro algum na sua boca. 18 Semelhantemente a eles se tornarão os que os fazem, e todos os que neles confiam. 19 Ó casa de Israel, bendizei ao Senhor; ó casa de Arão, bendizei ao Senhor; 20 ó casa de Levi, bendizei ao Senhor; vós, os que temeis ao Senhor, bendizei ao Senhor. 21 Desde Sião seja bendito o Senhor, que habita em Jerusalém. Louvai ao Senhor.
1 Dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre. 2 Dai graças ao Deus dos deuses, porque a sua benignidade dura para sempre 3 Dai graças ao Senhor dos senhores, porque a sua benignidade dura para sempre; 4 ao único que faz grandes maravilhas, porque a sua benignidade dura para sempre; 5 �quele que com entendimento fez os céus, porque a sua benignidade dura para sempre; 6 �quele que estendeu a terra sobre as águas, porque a sua benignidade dura para sempre; 7 �quele que fez os grandes luminares, porque a sua benignidade dura para sempre; 8 o sol para governar de dia, porque a sua benignidade dura para sempre; 9 a lua e as estrelas para presidirem a noite, porque a sua benignidade dura para sempre; 10 �quele que feriu o Egito nos seus primogênitos, porque a sua benignidade dura para sempre; 11 e que tirou a Israel do meio deles, porque a sua benignidade dura para sempre; 12 com mão forte, e com braço estendido, porque a sua benignidade dura para sempre; 13 �quele que dividiu o Mar Vermelho em duas partes, porque a sua benignidade dura para sempre; 14 e fez passar Israel pelo meio dele, porque a sua benignidade dura para sempre; 15 mas derrubou a Faraó com o seu exército no Mar Vermelho, porque a sua benignidade dura para sempre; 16 �quele que guiou o seu povo pelo deserto, porque a sua benignidade dura para sempre; 17 �quele que feriu os grandes reis, porque a sua benignidade dura para sempre; 18 e deu a morte a reis famosos, porque a sua benignidade dura para sempre. 19 a Siom, rei dos amorreus, porque a sua benignidade dura para sempre; 20 e a Ogue, rei de Basã, porque a sua benignidade dura para sempre; 21 e deu a terra deles em herança, porque a sua benignidade dura para sempre; 22 sim, em herança a Israel, seu servo, porque a sua benignidade dura para sempre; 23 que se lembrou de nós em nossa humilhação, porque a sua benignidade dura para sempre; 24 e nos libertou dos nossos inimigos, porque a sua benignidade dura para sempre; 25 que dá alimento a toda a carne, porque a sua benignidade dura para sempre. 26 Dai graças ao Deus dos céus, porque a sua benignidade dura para sempre.
1 Junto aos rios de Babilônia, ali nos assentamos e nos pusemos a chorar, recordando-nos de Sião. 2 Nos salgueiros que há no meio dela penduramos as nossas harpas, 3 pois ali aqueles que nos levaram cativos nos pediam canções; e os que nos atormentavam, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos um dos cânticos de Sião. 4 Mas como entoaremos o cântico do Senhor em terra estrangeira? 5 Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a minha destra da sua destreza. 6 Apegue-se-me a língua ao céu da boca, se não me lembrar de ti, se eu não preferir Jerusalém � minha maior alegria. 7 Lembra-te, Senhor, contra os edomitas, do dia de Jerusalém, porque eles diziam: Arrasai-a, arrasai-a até os seus alicerces. 8 Ah! filha de Babilônia, devastadora; feliz aquele que te retribuir consoante nos fizeste a nós; 9 feliz aquele que pegar em teus pequeninos e der com eles nas pedra.
1 Graças te dou de todo o meu coração; diante dos deuses a ti canto louvores. 2 Inclino-me para o teu santo templo, e louvo o teu nome pela tua benignidade, e pela tua fidelidade; pois engrandeceste acima de tudo o teu nome e a tua palavra. 3 No dia em que eu clamei, atendeste-me; alentaste-me, fortalecendo a minha alma. 4 Todos os reis da terra de louvarão, ó Senhor, quando ouvirem as palavras da tua boca; 5 e cantarão os caminhos do Senhor, pois grande é a glória do Senhor. 6 Ainda que o Senhor é excelso, contudo atenta para o humilde; mas ao soberbo, conhece-o de longe. 7 Embora eu ande no meio da angústia, tu me revivificas; contra a ira dos meus inimigos estendes a tua mão, e a tua destra me salva. 8 O Senhor aperfeiçoará o que me diz respeito. A tua benignidade, ó Senhor, dura para sempre; não abandones as obras das tuas mãos.
1 Senhor, tu me sondas, e me conheces. 2 Tu conheces o meu sentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. 3 Esquadrinhas o meu andar, e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos. 4 Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces. 5 Tu me cercaste em volta, e puseste sobre mim a tua mão. 6 Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim; elevado é, não o posso atingir. 7 Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? 8 Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também. 9 Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, 10 ainda ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. 11 Se eu disser: Ocultem-me as trevas; torne-se em noite a luz que me circunda; 12 nem ainda as trevas são escuras para ti, mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa. 13 Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. 14 Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. 15 Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e esmeradamente tecido nas profundezas da terra. 16 Os teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no teu livro foram escritos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles. 17 E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grande é a soma deles! 18 Se eu os contasse, seriam mais numerosos do que a areia; quando acordo ainda estou contigo. 19 Oxalá que matasses o perverso, ó Deus, e que os homens sanguinários se apartassem de mim, 20 homens que se rebelam contra ti, e contra ti se levantam para o mal. 21 Não odeio eu, ó Senhor, aqueles que te odeiam? e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? 22 Odeio-os com ódio completo; tenho-os por inimigos. 23 Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; 24 vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno.
California - Do Not Sell My Personal Information  California - CCPA Notice