Salmos 7; Salmos 27; Salmos 31; Salmos 34; Salmos 52

1 Senhor, Deus meu, confio, salva-me de todo o que me persegue, e livra-me; 2 para que ele não me arrebate, qual leão, despedaçando-me, sem que haja quem acuda. 3 Senhor, Deus meu, se eu fiz isto, se há perversidade nas minhas mãos, 4 se paguei com o mal �quele que tinha paz comigo, ou se despojei o meu inimigo sem causa. 5 persiga-me o inimigo e alcance-me; calque aos pés a minha vida no chão, e deite no pó a minha glória. 6 Ergue-te, Senhor, na tua ira; levanta-te contra o furor dos meus inimigos; desperta-te, meu Deus, pois tens ordenado o juízo. 7 Reúna-se ao redor de ti a assembléia dos povos, e por cima dela remonta-te ao alto. 8 O Senhor julga os povos; julga-me, Senhor, de acordo com a minha justiça e conforme a integridade que há em mim. 9 Cesse a maldade dos ímpios, mas estabeleça-se o justo; pois tu, ó justo Deus, provas o coração e os rins. 10 O meu escudo está em Deus, que salva os retos de coração. 11 Deus é um juiz justo, um Deus que sente indignação todos os dias. 12 Se o homem não se arrepender, Deus afiará a sua espada; armado e teso está o seu arco; 13 já preparou armas mortíferas, fazendo suas setas inflamadas. 14 Eis que o mau está com dores de perversidade; concedeu a malvadez, e dará � luz a falsidade. 15 Abre uma cova, aprofundando-a, e cai na cova que fez. 16 A sua malvadez recairá sobre a sua cabeça, e a sua violência descerá sobre o seu crânio. 17 Eu louvarei ao Senhor segundo a sua justiça, e cantarei louvores ao nome do Senhor, o Altíssimo.
1 O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? 2 Quando os malvados investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, eles, meus adversários e meus inimigos, tropeçaram e caíram. 3 Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, conservarei a minha confiança. 4 Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo. 5 Pois no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo me esconderá; sobre uma rocha me elevará. 6 E agora será exaltada a minha cabeça acima dos meus inimigos que estão ao redor de mim; e no seu tabernáculo oferecerei sacrifícios de júbilo; cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor. 7 Ouve, ó Senhor, a minha voz quando clamo; compadece-te de mim e responde-me. 8 Quando disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração te disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei. 9 Não escondas de mim o teu rosto, não rejeites com ira o teu servo, tu que tens sido a minha ajuda. Não me enjeites nem me desampares, ó Deus da minha salvação. 10 Se meu pai e minha mãe me abandonarem, então o Senhor me acolherá. 11 Ensina-me, ó Senhor, o teu caminho, e guia-me por uma vereda plana, por causa dos que me espreitam. 12 Não me entregues � vontade dos meus adversários; pois contra mim se levantaram falsas testemunhas e os que repiram violência. 13 Creio que hei de ver a bondade do Senhor na terra dos viventes. 14 Espera tu pelo Senhor; anima-te, e fortalece o teu coração; espera, pois, pelo Senhor.
1 Em ti, Senhor, me refugio; nunca seja eu envergonhado; livra-me pela tua justiça! 2 Inclina para mim os teus ouvidos, livra-me depressa! Sê para mim uma rocha de refúgio, uma casa de defesa que me salve! 3 Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza; pelo que, por amor do teu nome, guia-me e encaminha-me. 4 Tira-me do laço que me armaram, pois tu és o meu refúgio. 5 Nas tuas mãos entrego o meu espírito; tu me remiste, ó Senhor, Deus da verdade. 6 Odeias aqueles que atentam para ídolos vãos; eu, porém, confio no Senhor. 7 Eu me alegrarei e regozijarei na tua benignidade, pois tens visto a minha aflição. Tens conhecido as minhas angústias, 8 e não me entregaste nas mãos do inimigo; puseste os meus pés num lugar espaçoso. 9 Tem compaixão de mim, ó Senhor, porque estou angustiado; consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu corpo. 10 Pois a minha vida está gasta de tristeza, e os meus anos de suspiros; a minha força desfalece por causa da minha iniqüidade, e os meus ossos se consomem. 11 Por causa de todos os meus adversários tornei-me em opróbrio, sim, sobremodo o sou para os meus vizinhos, e horror para os meus conhecidos; os que me vêem na rua fogem de mim. 12 Sou esquecido como um morto de quem não há memória; sou como um vaso quebrado. 13 Pois tenho ouvido a difamação de muitos, terror por todos os lados; enquanto juntamente conspiravam contra mim, maquinaram tirar-me a vida. 14 Mas eu confio em ti, ó Senhor; e digo: Tu és o meu Deus. 15 Os meus dias estão nas tuas mãos; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos que me perseguem. 16 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo; salva-me por tua bondade. 17 Não seja eu envergonhado, ó Senhor, porque te invoco; envergonhados sejam os ímpios, emudeçam no Seol. 18 Emudeçam os lábios mentirosos, que falam insolentemente contra o justo, com arrogância e com desprezo. 19 Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, a qual na presença dos filhos dos homens preparaste para aqueles que em ti se refugiam! 20 No abrigo da tua presença tu os escondes das intrigas dos homens; em um pavilhão os ocultas da contenda das línguas. 21 Bendito seja o Senhor, pois fez maravilhosa a sua bondade para comigo numa cidade sitiada. 22 Eu dizia no meu espanto: Estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, tu ouviste as minhas súplicas quando eu a ti clamei. 23 Amai ao Senhor, vós todos os que sois seus santos; o Senhor guarda os fiéis, e retribui abundantemente ao que usa de soberba. 24 Esforçai-vos, e fortaleça-se o vosso coração, vós todos os que esperais no Senhor.
1 Bendirei ao Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca. 2 No Senhor se gloria a minha alma; ouçam-no os mansos e se alegrem. 3 Engrandeci ao Senhor comigo, e juntos exaltemos o seu nome. 4 Busquei ao Senhor, e ele me respondeu, e de todos os meus temores me livrou. 5 Olhai para ele, e sede iluminados; e os vossos rostos jamais serão confundidos. 6 Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu, e o livrou de todas as suas angústias. 7 O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra. 8 Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele se refugia. 9 Temei ao Senhor, vós, seus santos, porque nada falta aos que o temem. 10 Os leõezinhos necessitam e sofrem fome, mas �queles que buscam ao Senhor, bem algum lhes faltará. 11 Vinde, filhos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do Senhor. 12 Quem é o homem que deseja a vida, e quer longos dias para ver o bem? 13 Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem dolosamente. 14 Aparta-te do mal, e faze o bem: busca a paz, e segue-a. 15 Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor. 16 A face do Senhor está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles. 17 Os justos clama, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias. 18 Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito. 19 Muitas são as aflições do justo, mas de todas elas o Senhor o livra. 20 Ele lhe preserva todos os ossos; nem sequer um deles se quebra. 21 A malícia matará o ímpio, e os que odeiam o justo serão condenados. 22 O Senhor resgata a alma dos seus servos, e nenhum dos que nele se refugiam será condenado.
1 Por que te glorias na malícia, ó homem poderoso? pois a bondade de Deus subsiste em todo o tempo. 2 A tua língua maquina planos de destruição, como uma navalha afiada, ó tu que usas de dolo. 3 Tu amas antes o mal do que o bem, e o mentir do que o falar a verdade. 4 Amas todas as palavras devoradoras, ó língua fraudulenta. 5 Também Deus te esmagará para sempre; arrebatar-te-á e arrancar-te-á da tua habitação, e desarraigar-te-á da terra dos viventes. 6 Os justos o verão e temerão; e se rirão dele, dizendo: 7 Eis aqui o homem que não tomou a Deus por sua fortaleza; antes confiava na abundância das suas riquezas, e se fortalecia na sua perversidade. 8 Mas eu sou qual oliveira verde na casa de Deus; confio na bondade de Deus para sempre e eternamente. 9 Para sempre te louvarei, porque tu isso fizeste, e proclamarei o teu nome, porque é bom diante de teus santos.
California - Do Not Sell My Personal Information  California - CCPA Notice