Salmos 89; Salmos 96; Salmos 100; Salmos 101; Salmos 105; Salmos 132

1 Cantarei para sempre as benignidades do Senhor; com a minha boca proclamarei a todas as gerações a tua fidelidade. 2 Digo, pois: A tua benignidade será renovada para sempre; tu confirmarás a tua fidelidade até nos céus, dizendo: 3 Fiz um pacto com o meu escolhido; jurei ao meu servo Davi: 4 Estabelecerei para sempre a tua descendência, e firmarei o teu trono por todas as gerações. 5 Os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor, e a tua fidelidade na assembléia dos santos. 6 Pois quem no firmamento se pode igualar ao Senhor? Quem entre os filhos de Deus é semelhante ao Senhor, 7 um Deus sobremodo tremendo na assembléia dos santos, e temível mais do que todos os que estão ao seu redor? 8 Ó Senhor, Deus dos exércitos, quem é poderoso como tu, Senhor, com a tua fidelidade ao redor de ti? 9 Tu dominas o ímpio do mar; quando as suas ondas se levantam tu as fazes aquietar. 10 Tu abateste a Raabe como se fora ferida de morte; com o teu braço poderoso espalhaste os teus inimigos. 11 São teus os céus, e tua é a terra; o mundo e a sua plenitude, tu os fundaste. 12 O norte e o sul, tu os criaste; o Tabor e o Hermom regozijam-se em teu nome. 13 Tu tens um braço poderoso; forte é a tua mão, e elevado a tua destra. 14 Justiça e juízo são a base do teu trono; benignidade e verdade vão adiante de ti. 15 Bem-aventurado o povo que conhece o som festivo, que anda, ó Senhor, na luz da tua face, 16 que se regozija em teu nome todo o dia, e na tua justiça é exaltado. 17 Pois tu és a glória da sua força; e pelo teu favor será exaltado o nosso poder. 18 Porque o Senhor é o nosso escudo, e o Santo de Israel é o nosso Rei. 19 Naquele tempo falaste em visão ao teu santo, e disseste: Coloquei a coroa num homem poderoso; exaltei um escolhido dentre o povo. 20 Achei Davi, meu servo; com o meu santo óleo o ungi. 21 A minha mão será sempre com ele, e o meu braço o fortalecerá. 22 O inimigo não o surpreenderá, nem o filho da perversidade o afligirá. 23 Eu esmagarei diante dele os seus adversários, e aos que o odeiam abaterei. 24 A minha fidelidade, porém, e a minha benignidade estarão com ele, e em meu nome será exaltado o seu poder. 25 Porei a sua mão sobre o mar, e a sua destra sobre os rios. 26 Ele me invocará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação. 27 Também lhe darei o lugar de primogênito; fá-lo-ei o mais excelso dos reis da terra. 28 Conservar-lhe-ei para sempre a minha benignidade, e o meu pacto com ele ficará firme. 29 Farei que subsista para sempre a sua descendência, e o seu trono como os dias dos céus. 30 Se os seus filhos deixarem a minha lei, e não andarem nas minhas ordenanças, 31 se profanarem os meus preceitos, e não guardarem os meus mandamentos, 32 então visitarei com vara a sua transgressão, e com açoites a sua iniqüidade. 33 Mas não lhe retirarei totalmente a minha benignidade, nem faltarei com a minha fidelidade. 34 Não violarei o meu pacto, nem alterarei o que saiu dos meus lábios. 35 Uma vez para sempre jurei por minha santidade; não mentirei a Davi. 36 A sua descendência subsistirá para sempre, e o seu trono será como o sol diante de mim; 37 será estabelecido para sempre como a lua, e ficará firme enquanto o céu durar. 38 Mas tu o repudiaste e rejeitaste, tu estás indignado contra o teu ungido. 39 Desprezaste o pacto feito com teu servo; profanaste a sua coroa, arrojando-a por terra. 40 Derribaste todos os seus muros; arruinaste as suas fortificações. 41 Todos os que passam pelo caminho o despojam; tornou-se objeto de opróbrio para os seus vizinhos. 42 Exaltaste a destra dos seus adversários; fizeste com que todos os seus inimigos se regozijassem. 43 Embotaste o fio da sua espada, e não o sustentaste na peleja; 44 fizeste cessar o seu esplendor, e arrojaste por terra o seu trono; 45 abreviaste os dias da sua mocidade; cobriste-o de vergonha. 46 Até quando, Senhor? Esconder-te-ás para sempre? Até quando arderá a tua ira como fogo? 47 Lembra-te de quão breves são os meus dias; de quão efêmeros criaste todos os filhos dos homens! 48 Que homem há que viva e não veja a morte? ou que se livre do poder do Seol? 49 Senhor, onde estão as tuas antigas benignidades, que juraste a Davi na tua fidelidade? 50 Lembre-te, Senhor, do opróbrio dos teus servos; e de como trago no meu peito os insultos de todos os povos poderosos, 51 com que os teus inimigos, ó Senhor, têm difamado, com que têm difamado os passos do teu ungido. 52 Bendito seja o Senhor para sempre. Amém e amém.
1 Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da terra. 2 Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome; anunciai de dia em dia a sua salvação. 3 Anunciai entre as nações a sua glória, entre todos os povos as suas maravilhas. 4 Porque grande é o Senhor, e digno de ser louvado; ele é mais temível do que todos os deuses. 5 Porque todos os deuses dos povos são ídolos; mas o Senhor fez os céus. 6 Glória e majestade estão diante dele, força e formosura no seu santuário. 7 Tributai ao Senhor, ó famílias dos povos, tributai ao Senhor glória e força. 8 Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas, e entrai nos seus átrios. 9 Adorai ao Senhor vestidos de trajes santos; tremei diante dele, todos os habitantes da terra. 10 Dizei entre as nações: O Senhor reina; ele firmou o mundo, de modo que não pode ser abalado. Ele julgará os povos com retidão. 11 Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra; brame o mar e a sua plenitude. 12 Exulte o campo, e tudo o que nele há; então cantarão de júbilo todas as árvores do bosque 13 diante do Senhor, porque ele vem, porque vem julgar a terra: julgará o mundo com justiça e os povos com a sua fidelidade.
1 Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os habitantes da terra. 2 Servi ao Senhor com alegria, e apresentai-vos a ele com cântico. 3 Sabei que o Senhor é Deus! Foi ele quem nos fez, e somos dele; somos o seu povo e ovelhas do seu pasto. 4 Entrai pelas suas portas com ação de graças, e em seus átrios com louvor; dai-lhe graças e bendizei o seu nome. 5 Porque o Senhor é bom; a sua benignidade dura para sempre, e a sua fidelidade de geração em geração.
1 Cantarei a benignidade e o juízo; a ti, Senhor, cantarei. 2 Portar-me-ei sabiamente no caminho reto. Oh, quando virás ter comigo? Andarei em minha casa com integridade de coração. 3 Não porei coisa torpe diante dos meus olhos; aborreço as ações daqueles que se desviam; isso não se apagará a mim. 4 Longe de mim estará o coração perverso; não conhecerei o mal. 5 Aquele que difama o seu próximo �s escondidas, eu o destruirei; aquele que tem olhar altivo e coração soberbo, não o tolerarei. 6 Os meus olhos estão sobre os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda no caminho perfeito, esse me servirá. 7 O que usa de fraude não habitará em minha casa; o que profere mentiras não estará firme perante os meus olhos. 8 De manhã em manhã destruirei todos os ímpios da terra, para desarraigar da cidade do Senhor todos os que praticam a iniqüidade.
1 Dai graças ao Senhor; invocai o seu nome; fazei conhecidos os seus feitos entre os povos. 2 Cantai-lhe, cantai-lhe louvores; falai de todas as suas maravilhas. 3 Gloriai-vos no seu santo nome; regozije-se o coração daqueles que buscam ao Senhor. 4 Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente. 5 Lembrai-vos das maravilhas que ele tem feito, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca, 6 vós, descendência de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. 7 Ele é o Senhor nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra. 8 Lembra-se perpetuamente do seu pacto, da palavra que ordenou para mil gerações; 9 do pacto que fez com Abraão, e do seu juramento a Isaque; 10 o qual ele confirmou a Jacó por estatuto, e a Israel por pacto eterno, 11 dizendo: A ti darei a terra de Canaã, como porção da vossa herança. 12 Quando eles eram ainda poucos em número, de pouca importância, e forasteiros nela, 13 andando de nação em nação, dum reino para outro povo, 14 não permitiu que ninguém os oprimisse, e por amor deles repreendeu reis, dizendo: 15 Não toqueis nos meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas. 16 Chamou a fome sobre a terra; retirou-lhes todo o sustento do pão. 17 Enviou adiante deles um varão; José foi vendido como escravo; 18 feriram-lhe os pés com grilhões; puseram-no a ferro, 19 até o tempo em que a sua palavra se cumpriu; a palavra do Senhor o provou. 20 O rei mandou, e fez soltá-lo; o governador dos povos o libertou. 21 Fê-lo senhor da sua casa, e governador de toda a sua fazenda, 22 para, a seu gosto, dar ordens aos príncipes, e ensinar aos anciãos a sabedoria. 23 Então Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão. 24 E o Senhor multiplicou sobremodo o seu povo, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos. 25 Mudou o coração destes para que odiassem o seu povo, e tratassem astutamente aos seus servos. 26 Enviou Moisés, seu servo, e Arão, a quem escolhera, 27 os quais executaram entre eles os seus sinais e prodígios na terra de Cão. 28 Mandou � escuridão que a escurecesse; e foram rebeldes � sua palavra. 29 Converteu-lhes as águas em sangue, e fez morrer os seus peixes. 30 A terra deles produziu rãs em abundância, até nas câmaras dos seus reis. 31 Ele falou, e vieram enxames de moscas em todo o seu têrmo. 32 Deu-lhes saraiva por chuva, e fogo abrasador na sua terra. 33 Feriu-lhes também as vinhas e os figueirais, e quebrou as árvores da sua terra. 34 Ele falou, e vieram gafanhotos, e pulgões em quantidade inumerável, 35 que comeram toda a erva da sua terra, e devoraram o fruto dos seus campos. 36 Feriu também todos os primogênitos da terra deles, as primícias de toda a sua força. 37 E fez sair os israelitas com prata e ouro, e entre as suas tribos não havia quem tropeçasse. 38 O Egito alegrou-se quando eles saíram, porque o temor deles o dominara. 39 Estendeu uma nuvem para os cobrir, e um fogo para os alumiar de noite. 40 Eles pediram, e ele fez vir codornizes, e os saciou com pão do céu. 41 Fendeu a rocha, e dela brotaram águas, que correram pelos lugares áridos como um rio. 42 Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo. 43 Fez sair com alegria o seu povo, e com cânticos de júbilo os seus escolhidos. 44 Deu-lhes as terras das nações, e eles herdaram o fruto do trabalho dos povos, 45 para que guardassem os seus preceitos, e observassem as suas leis. Louvai ao Senhor
1 Lembra-te, Senhor, a bem de Davi, de todas as suas aflições; 2 como jurou ao Senhor, e fez voto ao Poderoso de Jacó, dizendo: 3 Não entrarei na casa em que habito, nem subirei ao leito em que durmo; 4 não darei sono aos meus olhos, nem adormecimento �s minhas pálpebras, 5 até que eu ache um lugar para o Senhor uma morada para o Poderoso de Jacó. 6 Eis que ouvimos falar dela em Efrata, e a achamos no campo de Jaar. 7 Entremos nos seus tabernáculos; prostremo-nos ante o escabelo de seus pés. 8 Levanta-te, Senhor, entra no lugar do teu repouso, tu e a arca da tua força. 9 Vistam-se os teus sacerdotes de justiça, e exultem de júbilo os teus santos. 10 Por amor de Davi, teu servo, não rejeites a face do teu ungido. 11 O Senhor jurou a Davi com verdade, e não se desviará dela: Do fruto das tuas entranhas porei sobre o teu trono. 12 Se os teus filhos guardarem o meu pacto, e os meus testemunhos, que eu lhes hei de ensinar, também os seus filhos se assentarão perpetuamente no teu trono. 13 Porque o Senhor escolheu a Sião; desejou-a para sua habitação, dizendo: 14 Este é o lugar do meu repouso para sempre; aqui habitarei, pois o tenho desejado. 15 Abençoarei abundantemente o seu mantimento; fartarei de pão os seus necessitados. 16 Vestirei de salvação os seus sacerdotes; e de júbilo os seus santos exultarão 17 Ali farei brotar a força de Davi; preparei uma lâmpada para o meu ungido. 18 Vestirei de confusão os seus inimigos; mas sobre ele resplandecerá a sua coroa.
California - Do Not Sell My Personal Information  California - CCPA Notice