Salmos 107

QUINTO LIVRO

Salmos 107–150

1 Deem graças ao SENHOR porque ele é bom;o seu amor dura para sempre.
2 Assim o digam os que o SENHOR resgatou,os que livrou das mãos do adversário
3 e reuniu de outras terras,do oriente e do ocidente, do norte e do sul.a
4 Perambularam pelo deserto e por terras áridassem encontrar cidade habitada.
5 Estavam famintos e sedentos;sua vida ia se esvaindo.
6 Na sua aflição, clamaram ao SENHOR,e ele os livrou da tribulação em que se encontravam
7 e os conduziu por caminho seguroa uma cidade habitada.
8 Que eles deem graças ao SENHOR por seu amor leale por suas maravilhas em favor dos homens,
9 porque ele sacia o sedentoe satisfaz plenamente o faminto.
10 Assentaram-se nas trevas e na sombra mortal,aflitos, acorrentados,
11 pois se rebelaram contra as palavras de Deuse desprezaram os desígnios do Altíssimo.
12 Por isso ele os sujeitou a trabalhos pesados;eles tropeçaram, e não houve quem os ajudasse.
13 Na sua aflição, clamaram ao SENHOR,e ele os salvou da tribulação em que se encontravam.
14 Ele os tirou das trevas e da sombra mortale quebrou as correntes que os prendiam.
15 Que eles deem graças ao SENHOR,por seu amor leal e por suas maravilhasem favor dos homens,
16 porque despedaçou as portas de bronzee rompeu as trancas de ferro.
17 Tornaram-se tolos por causa dos seus caminhos rebeldes,e sofreram por causa das suas maldades.
18 Sentiram repugnância por toda comidae chegaram perto das portas da morte.
19 Na sua aflição, clamaram ao SENHOR, e ele os salvou da tribulaçãoem que se encontravam.
20 Ele enviou a sua palavra e os curou,e os livrou da morte.
21 Que eles deem graças ao SENHOR,por seu amor leal e por suas maravilhasem favor dos homens.
22 Que eles ofereçam sacrifícios de ação de graçase anunciem as suas obras com cânticos de alegria.
23 Fizeram-se ao mar em navios,para negócios na imensidão das águas,
24 e viram as obras do SENHOR,as suas maravilhas nas profundezas.
25 Deus falou e provocou um vendavalque levantava as ondas.
26 Subiam aos céus e desciam aos abismos;diante de tal perigo, perderam a coragem.
27 Cambaleavam, tontos como bêbados,e toda a sua habilidade foi inútil.
28 Na sua aflição, clamaram ao SENHOR,e ele os tirou da tribulaçãoem que se encontravam.
29 Reduziu a tempestade a uma brisae serenou as ondas.
30 As ondas sossegaram, eles se alegraram,e Deus os guiou ao porto almejado.
31 Que eles deem graças aopor seu amor leal e por suas maravilhasem favor dos homens.
32 Que o exaltem na assembleia do povoe o louvem na reunião dos líderes.
33 Ele transforma os rios em desertoe as fontes em terra seca,
34 faz da terra fértil um solo estéril,por causa da maldade dos seus moradores.
35 Transforma o deserto em açudese a terra ressecada em fontes.
36 Ali ele assenta os famintos,para fundarem uma cidade habitável,
37 semearem lavouras, plantarem vinhase colherem uma grande safra.
38 Ele os abençoa, e eles se multiplicam;e não deixa que os seus rebanhos diminuam.
39 Quando, porém, reduzidos,são humilhados com opressão, desgraça e tristeza.
40 Deus derrama desprezo sobre os nobrese os faz vagar num deserto sem caminhos.
41 Mas tira os pobres da misériae aumenta as suas famílias como rebanhos.
42 Os justos veem tudo isso e se alegram,mas todos os perversos se calam.
43 Reflitam nisso os sábiose considerem a bondade do SENHOR.